quinta-feira, 6 de abril de 2017

SEMANA DO CALOURO-2017

Depois de muito esforço, eles conquistaram uma vaga na maior universidade pública do Estado e, agora, aguardam ansiosos o início das aulas. Mas, antes que eles sentem em suas carteiras, a Universidade Federal do Pará (UFPA) aguarda-os para as merecidas “boas-vindas” na Semana do Calouro 2017. De 17 a 20 de abril, os cerca de 8 mil novos universitários paraenses serão “apresentados” à Instituição.  Então, anotem na agenda!



Recepção dos Calouros do Campus Universitário de Bragança/ UFPA.

Para recepcionar os novos alunos, aprovados no Processo Seletivo 2017, o Campus Universitário de Bragança, da Universidade Federal do Pará, realizará, no período de 17 a 20 de abril, a Semana do Calouro, com o tema "Políticas Universitárias de Humanização: qual o seu papel?".

No dia 17 de abril, a partir das 8 horas, ocorrerá a programação geral, no auditório do Instituto Santa Terezinha (IST), para todos os discentes, a fim de dar-lhes as “boas vindas”. Neste dia será ministrada a aula magna, e palestras que objetivam: apresentar as estruturas administrativa e acadêmica do campus; orientar quanto à utilização do Sistema Integrado de Gestão de Atividades Acadêmicas (SIGAA); e instruir a respeito dos serviços prestados pela Superintendência de Assistência Estudantil (SAEST).

Nos demais dias, a programação será direcionada para cada curso. No primeiro dia do evento, o aluno receberá as informações referentes às atividades específicas que serão desenvolvidas pelas Faculdades.
O evento possibilita, assim, aos novos discentes conhecer, de modo geral, a instituição, na qual depositaram a sua confiança para conduzir a sua formação acadêmica, e familiarizar-se com a mesma.


IMPORTANTE: Os calouros de Engenharia de Pesca contarão com uma programação especial da faculdade juntamente com o Centro Acadêmico (CAEP) e o PET-PESCA. 

sexta-feira, 18 de novembro de 2016

Carteirinha Estudantil

Bom dia!

Aos discentes que solicitaram a Carteira de Estudante pelo nosso centro acadêmico, informamos que as mesmas já estão disponíveis em nossa sala (Bloco 3, sala 3, 2° andar).

Para a entrega será preciso o comprovante de solicitação e/ou documento com foto.

terça-feira, 1 de novembro de 2016

Ocupação da Universidade Federal do Pará, Campus Bragança, contra a Proposta de Emenda Constitucional 241/2016

O Movimento de Ocupação e Resistência contra a PEC 241/2016 da UFPA campus de Bragança, em assembléia dos estudantes realizada na noite do dia 31 de outubro de 2016, decidiu por unanimidade iniciar a ocupação dos espaços físicos desta unidade em resistência e protesto à Proposta de Emenda Constitucional 241/2016 (55/2016). Desta forma, convocamos toda à comunidade, estudantes, professores, técnicos, servidores, pais e sociedade em geral para somarmos na luta contra esta e outras propostas deste governo ilegítimo que representam retrocessos às conquistas sociais dos últimos anos com o objetivo de agradar o grande capital nacional e internacional.
Este movimento compreende a necessidade de medidas para o equilíbrio das contas públicas, porém não reconhece a PEC 241 como alternativa justa e eficiente para este fim, pois a referida proposta penaliza a classe trabalhadora, colocando-nos de forma autoritária como pagadores da conta. É importante ressaltar que existem diversas outras propostas que visam o ajuste fiscal, e que precisam ser amplamente debatidas com a sociedade para juntos optarmos pela melhoria, assegurando o desenvolvimento econômico sem prejuízo das políticas e investimentos sociais.

Somos parte de um movimento de carácter nacional que vem ganhando forças, tendo mais de 1000 escolas ocupadas e centenas de campis universitários, bem como de institutos federais, que comungam das iniciativas de ocupação como ato de repúdio e resistência às investidas do governo ilegítimo.
Estamos em programação constante de forma à dedicar esses dias de ocupação o espaço acadêmico somente para discussões de cunho político, social e cultural pondo em pauta as consequências das ações golpistas. Para isso, estarão em agendas Rodas de Conversas, Grupos de Discussões, Aulões, Cinedebate, dentre outros, de forma que a discussão possa ser aberta à comunidade.
Pedimos apoio da comunidade em geral quanto a doação de alimentos, contribuição financeira, e também pelo apoios nas redes sociais e na participação em nossa programação. 


Texto: Movimento de Mobilização e Resistência UFPA-Bragança
Imagens: Assessoria de Marketing - CAEP

segunda-feira, 24 de outubro de 2016

Engenheira de pesca desenvolveu o alimento em estudo na Universidade Federal do Pará



Barrinha de peixe

Desta vez, o desenvolvimento de um produto foi matéria de um programa de televisão em rede nacional, COMO SERÁ da TV REDE GLOBO.
 

Você já imaginou uma barra de cereal com nove ingredientes, entre eles o farelo da pescada gó? Esse é o resultado de uma pesquisa de quatro anos da engenheira de pesca Elen Ribeiro.

O alimento tem doze por cento a mais de proteína do que a barra que a gente costuma comprar no supermercado. Outro aspecto interessante é que a barrinha não tem o gosto nem o cheiro do peixe.


O curso vem se destacando no cenário nacional por conta das inovações que sempre são bem sucedidas.



quinta-feira, 20 de outubro de 2016

Aos que ainda não solicitaram as carteirinhas de estudante, já é hora de procurar o CENTRO ACADÊMICO DE ENGENHARIA DE PESCA, fica no bloco 3, sala 3 nos altos.

O prazo de solicitação foi PRORROGADO até o dia 31 deste mês.


Leve uma foto 3x4 ou digital e preencha  seu formulário que está disponível no CAEP-UFPA.

OBS: Os formulários já estão disponíveis.

Assessoria de Marketing e Publicidade-CAEP

segunda-feira, 4 de julho de 2016

Instituto de Pesca conduz estudos sobre a reprodução do mero (Epinephelus itajara) em cativeiro

O Instituto de Pesca de São Paulo (IP) está conduzindo uma pesquisa sobre a reprodução do mero (Epinephelus itajara) em cativeiro.
 O mero é um peixe marinho da família dos serranídeos e encontra-se na lista vermelha das espécies ameaçadas da União Internacional para Conservação da Natureza. A sua captura está proibida desde 2002 no Brasil.
O pesquisador Eduardo Sanches coordenada o estudo que tem o objetivo de desenvolver um banco de sêmen da espécie, avaliar a variabilidade genética e obter os primeiros exemplares  produzidos em cativeiro.

Desde pesquisas anteriores, realizadas com garoupas-verdadeiras, o Instituto de Pesca se tornou a única instituição a manter um banco de sêmen de serranídeos ameaçados de extinção e a criar protocolos para reprodução em cativeiro dessa família de peixes no Brasil. Os avanços conquistados nessa área despertaram o interesse de pesquisadores do projeto Meros do Brasil, que buscaram a parceria da equipe do IP para desenvolver as pesquisas sobre reprodução do mero e, com isso, obter os primeiros exemplares dessa espécie produzidos em cativeiro. Durante os primeiros 12 meses de manutenção dos peixes em Ubatuba, ainda em 2014, os pesquisadores já haviam  realizado a inversão sexual e a produção de sêmen.

Até o momento, a equipe do IP já realizou com sucesso o congelamento do sêmen e criou o primeiro banco de esperma da espécie. Agora, os pesquisadores se debruçam sobre a etapa de ovulação e produção de larvas para, enfim, obter os primeiros meros nascidos no laboratório do IP em Ubatuba.

Foto: merosdobrasil